Encontrado em Roma, segundo Arco Monumental de Tito celebrando a vitória sobre os judeus

O arco desenterrado na entrada do Circo Máximo foi construído por Domiciano, irmão de Tito, vangloriando-se de como os romanos tinham subjugado os judeus.

O edifício estava aninhado entre as arquibancadas do Circo Máximo, a extensa arena onde ocorriam competições diversas. Está a menos de um quilômetro do Arco de Tito, no monte Palatino, que retrata a menorá e outros objetos sagrados do Templo, sendo levados em desfile triunfal após a queda de Jerusalém no ano 70 da E.C..

Estudiosos há muito suspeitaram da existência do segundo arco de Tito, a partir de representações em mapas antigos e na arte romana, mas seus restos só surgiram durante uma escavação arqueológica no extremo sul do Circo Máximo, reaberto ao público no final do ano passado.

Especialistas agora têm uma boa ideia de como deve ter sido o arco. Com largura de 17 metros e altura de mais de 10 metros, o triplo arco era muito maior do que o de Tito. Decorado com uma estátua de bronze de Tito dirigindo uma carruagem de quatro cavalos, assim como as que competiam no circo, foi a primeira grande atração para os visitantes que entram na cidade a partir do sul, e um marco sob o qual passavam desfiles militares e procissões religiosas. Ele pode ter sido bastante danificado em um terremoto ocorrido em 847. Por volta do século 12, o Circo, que podia receber 150 espectadores, tinha se tornado um campo agrícola e um novo aqueduto para irrigar os campos e suprir as necessidades da cidade passava pelo arco, o que acelerou a sua degradação.

Veja também

Palestinos manterão luta pacífica, diz Abbas a palestinos da América Latina

Em carta dirigida à comunidade palestina da América Latina, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmud …