Comunidade judaica processa Ana Amélia Mello Franco por racismo

Em razão de inúmeras manifestações ofensivas, discriminatórias e incitadoras ao ódio contra os judeus, lançadas no Facebook por Ana Amélia Mello Franco, a FIERJ ingressou com notícia-crime no Ministério Público Federal.

O presidente Jayme Salim Salomão e os advogados Jacksohn Grossman e Ricardo Sidi, foram recebidos pelo Procurador-Chefe da Procuradoria Regional da República, Dr. José Augusto Vagos, e pelo Procurador Jaime

Mitropoulos, titular da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, sendo encaminhado a este o processo, para a adoção das providências cabíveis, bem como à Procuradoria da área criminal, ante os elementos indicativos do crime de racismo.

Veja também

Rabino, monja e jornalista vão debater sobre como a mentira pode ser um obstáculo a cultura da paz

Como a mentira pode ser um obstáculo a cultura da Paz? Como dividir o mundo …

Deixe uma resposta