COLÓQUIO EM HOMENAGEM AO DIA INTERNACIONAL DA MULHER “MULHER, VIOLÊNCIA E SUBJETIVIDADE”

No Dia Internacional da Mulher, o Instituto de Psicologia da USP organizará o Colóquio: Mulher Violência e Subjetividade. Entre tantas mulheres que se destacaram na história da humanidade optou-se por apresentar a vida e a obra de uma mulher que enfrentou situações de extrema violência advindas do Nazismo e das Guerras Mundiais do século passado. Trata-se da alemã Edith Stein (1891-1942), judia, filósofa, discípula de Edmund Husserl (1859-1938), convertida ao catolicismo, teve o triste fim de sua existência em Auschwitz aos 51 anos.

Sua obra é estudada no mundo todo e particularmente na Filosofia e Psicologia brasileira. Edith Stein toca em profundidade as relações entre o mundo masculino e o feminino, destacando a mulher. Ela participou dos movimentos feministas e pedagógicos de sua época, transitava em várias áreas do saber, dado seus interesses psicológicos, antropológicos, filosóficos, políticos, religiosos e teológicos, bem como escrevia poemas, peças de teatro e apreciava a música de Johann Sebastian Bach. A busca pela verdade e os estudos feministas de Edith Stein nos ajudam a compreender a complexidade das questões de nosso tempo. Edith Theresa Hedwing Stein: (Breslávia, 12 de outubro de 1891 — Oświęcim, 9 de agosto de 1942 – filósofa alemã, de origem judia, converteu-se posteriormente ao catolicismo tornando-se carmelita descalça. Segunda mulher a defender uma tese de doutorado em Filosofia na Alemanha, morreu aos 51 anos, no campo de concentração de Auschwitz-Birkenau (por um longo tempo, Auschwitz era o nome alemão dado a Oświęcim na Baixa Polônia a cidade em volta da qual os campos eram localizados). Em 11 de outubro de 1998, foi canonizada pelo papa João Paulo II, como Santa Teresa Benedita da Cruz. Fonte: Stein, E. (1999). A mulher: sua missão segundo a natureza e a graça. Bauru: EDUSC.

PROGRAMAÇÃO

9h: Abertura: Professora Dra. Marilene Proença Rebello de Souza – Diretora
Professor Dr. Andrés Eduardo Aguirre Antúnez – Vice-Diretor
9h30: Dra. Ilana Waingort Novinsky: – “Edith Stein: A busca da verdade em tempos sombrios”.
10h15: Intervalo para o café
10h30: Prof. Dr. Gilberto Safra: – “A condição feminina: diálogos com Edith Stein”.
11h15: Espaço aberto para diálogo entre os palestrantes e o público.
12h: Encerramento
INSCRIÇÕES ONLINE: https://goo.gl/forms/IgB08pKwuEM4lA6v1
(Obs: os certificados serão enviados por e-mail mediante assinatura na lista de presença no momento do evento).
Transmissão ao vivo: https://www.youtube.com/watch?v=Plxf9BfKhpY

Dra. Ilana Waingort Novinsky Graduada em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (1973) e Pós-Graduação em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas (1975). Membro associado da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo e da International Psychoanalytical Association. Experiência na área de Psicanalise Clínica. Coordenadora do Centro de Estudos sobre Psicanálise e Intolerância (CEPI) do Laboratório de Estudos sobre Intolerância (LEI) da Universidade de São Paulo. Em 2012 Doutora em História Social pela Universidade de São Paulo. Prof. Dr. Gilberto Safra Professor titular da Universidade de São Paulo. Possui graduação em Psicologia pela Universidade de São Paulo (1976), Mestrado em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo (1984) e Doutorado em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo (1990). Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Intervenção Terapêutica, atuando principalmente nos seguintes temas: Psicanálise, Psicologia da Religião, Intervenções e Consultas terapêuticas. Trabalho na perspectiva da Psicanálise inglesa (Winnicott, Milner) em diálogo com a filosofia e a literatura russa. Em suas pesquisas utiliza diálogos com Dostoiévsky, Pavel Florensky, Vladimir Solovyov, Yannaras, Horujyi.

Veja também

Trump2

Trump em Israel

Foto: RTP   |   www.bbc.com Relacionado