Cidadão do Mundo é lançado na Feira do Livro em Frankfurt

Cidadão do Mundo mostra o Brasil diante do Holocausto e dos judeus  refugiados do nazismo. O livro de autoria da historiadora Maria Luiza Tucci Carneiro,  foi lançado na Feira de Livros de Frankfurt que, neste ano, teve o Brasil como tema. Publicado pela Lit Verlag, de Viena e traduzido pela historiadora Marlen Eckl, este livro divulga para o público de língua alemã, um dos importantes seguimentos das pesquisas desenvolvidas pela autora sobre o tema do antissemitismo no Brasil. A expressão “Cidadão do Mundo”, ao contrário de ser um elogio ao cosmopolitismo dos judeus, expressa a forma sutil encontrada por vários países de destituir-lhes de seu sentido de pertencimento a uma nação, facilitando a perseguição enquanto um “estrangeiro” universal. Sob este viés, Tucci Carneiro discute a política racial brasileira no contexto das ações totalitárias e autoritárias dos anos de 1930 a 1950, fazendo uma minuciosa arqueologia do problema dos refugiados “políticos” europeus perseguidos pela Alemanha nazista e países colaboracionistas.  Através de documentos diplomáticos, policiais e outros coletados  nos arquivos pessoais de refugiados judeus no Brasil, Tucci analisa a postura do Brasil diante da tragédia que culminou com o Holocausto. A pesquisa despe a diplomacia brasileira de seu usual discurso humanista para mostrar que o governo do Brasil foi, antes de se qualquer ato de solidariedade e humanismo, um simpatizante dos ideais fascistas e do antissemitismo. A obra foi originalmente publicada em português pela Editora Perspectiva. Grande parte dos documentos das pesquisas de Tucci Carneiro e de sua equipe de pesquisadores  que atuam junto ao LEER/USP estão disponíveis no site www.arqshoah.com.br

Veja também

Campanha CHARIDY Fundo de Bolsas Ninguém Fica de Fora

Para o professor Jonathan Sacks, rabino chefe da Inglaterra, “Os judeus sobreviveram, simplesmente, porque devotaram …

Deixe uma resposta