Bnai Brith participa de cerimônia de Iftar com líderes muçulmanos e judeus

B’nai B’rith participa de cerimônia de Iftar com líderes muçulmanos e judeus

Em um encontro inédito no Brasil, lideranças da comunidade muçulmana foram recebidas no dia 20 de junho na residência do rabino Michel Schlesinger, representante da Confederação Israelita do Brasil para o diálogo inter-religioso, para a cerimônia conhecida como Iftar.

Zeila Sliozbergas, presidente da B’nai B’rith São Paulo, e Lia Bergmann, assessora de Direitos Humanos, representando o presidente nacional Abraham Goldstein, em viagem, participaram do evento.

A cerimônia de Iftar acontece ao final do dia, durante o Ramadã, quando os muçulmanos quebram o jejum, em um momento de celebração e alegria.

Estiveram presentes importantes lideranças da comunidade muçulmana em São Paulo, como os xeques Houssam Ahmad El Boustani, Mohamad El Moughrabi e Abdel Hamid Metwally e representantes do Centro Cultural Brasil-Turquia e do Centro Islâmico e de Diálogo Inter-religioso e Intercultural.

“Para derrotar o fanatismo, religiosos moderados precisam somar esforços. O silêncio das pessoas de bem cria um vácuo propício para a proliferação das ideologias extremistas. Por este motivo, as pessoas de todas as religiões que creem no diálogo precisam estar muito unidas para a consolidação de uma sociedade plural”, considera o rabino Schlesinger.

O xeque El Moughrabi parabenizou o rabino por sua “coragem”. “O verdadeiro religioso não prega a violência, e deseja paz”, disse o xeque El Boustani A presidente da B’nai B’rith São Paulo destacou a importância e a emoção de compartilhar de um momento sagrado e de conhecer melhor a comunidade muçulmana.

Ricardo Berkiensztat, presidente executivo da Federação Israelita do Estado de São Paulo afirmou que “não podemos deixar a minoria que prega a violência vencer”.

Também estiveram presentes diretores da Conib, Fisesp e Congregação Israelita Paulista.

Iftar2
Iftar222
2130.1
2148.1
2131.1

B’nai B’rith recebe cônsul geral de Israel em São Paulo Yoel Barnea e esposa

Depois de 3 anos como cônsul geral de Israel em São Paulo, Yoel Barnea está se despedindo do Brasil. Yoel e sua esposa Lucia foram recebidos na B’nai B’rith, dia 4 de julho, pelo presidente nacional Abraham Goldstein e esposa Irene, Zeila Sliozbergas, presidente da B’nai B’rith São Paulo, seu vice, Edgar Lagus e esposa Deborah, 2ª. secretaria, o ex-presidente Saul Skolnick e esposa Fani, Sam Osmo e diversos membros da diretoria da instituição.

Em um bate-papo descontraído Goldstein agradeceu ao cônsul, que representou brilhantemente o Estado de Israel. Yoel falou sobre sua trajetória e sua ligação com a América Latina, uma vez que nasceu na Argentina e é casado com uma brasileira que conheceu quando aqui serviu pela primeira vez em 1994. Deixou claro seu especial interesse pela comunidade judaica em todos os países onde atuou como diplomata. “Somos um povo. Temos um destino em comum”, destacou, ressaltando que o que acontece em Israel influi na comunidade judaica mundial e vice-versa. Embora os desafios que cada um enfrenta sejam diferentes. Agradeceu a colaboração de sua esposa Lucia e ela por sua vez, disse obrigado pela oportunidade de trabalhar na área cultural do consulado, contribuindo para o sucesso da missão do marido.

A B’nai B’rith é uma organização muito importante no mundo judaico, disse o cônsul, relatando que seus pais foram da B’nai B’rith, ele é, e se aproximou da instituição aos 23 anos quando estudou na Suíça. “A B’nai B’rith ajuda o Estado de Israel, aos judeus e não judeus”, ressaltou. “Agradeço pela colaboração frutífera. Muito obrigado pela acolhida”.

Ele recebeu das mãos do presidente Abraham uma bela carta, destacando em especial seu lado humano ao lidar com todas as questões e Lucia, ganhou flores entregues pela presidente Zeila.

 

B’nai B’rith recebe cônsul geral de Israel em São Paulo Yoel Barnea e esposa
consulzeila1 consul3
2185.1
consul1

Atividade da B’nai B’rith RS e Instituto Cultural Mac Chagall:
Os sobreviventes da 2ª. Guerra Mundial 

O Painel Compromisso Moral e Lições de Solidariedade foi duas vezes ao Colégio Anchieta, de Porto Alegre: uma em 2015 e outra em 2016. Sob o comando da profa. Patrícia Gomes, os professores e os alunos fizeram um vídeo dos resultados do trabalho, que, na escola recebeu o nome de:

Projeto 8º. Ano: Os sobreviventes da 2ª.  Guerra Mundial

Angelo Gabriel Colpo, aluno do 8º. ano do Colégio Anchieta resume como foi participar do Projeto que envolveu diversas atividades. “Um projeto muito interessante”. “Não sabia sobre a história da Segunda Guerra Mundial”. Estudar pessoas reais que participaram na 2ª. Guerra foi extremamente… muito, muito legal.”

A aluna Maria Julia Benz Bittencourt, destacou: “Acho um projeto muito importante de se tratar. As pessoas tem muito preconceito hoje em dia. Todo mundo precisa saber disso, o que o preconceito pode levar alguém a fazer. Se a gente não tratar disso, pode acabar acontecendo a mesma coisa.”

“O Projeto Sobreviventes é muito especial para o 8º. ano… O ponto alto é sem dúvida, a conversa com quem foi protagonista desse, período. É um privilegio conhece-los e saber de suas histórias.”, disse a professora Ligia Shuketer.

Para a professora Patricia Gomes, que coordenou a atividade, o “objetivo desse projeto é reavivar em nossos alunos a tolerância e a compaixão, buscando a excelência humana, através da construção de um ser comprometido com os atos da sociedade e consciente de sua participa nela”.

Ela citou: “A esperança tem duas filhas lindas: ia indignação e a coragem. A indignação nos ensina a não aceitar as coisas como estão, e a coragem nos ensina a muda-las” (Santo Agostinho).

Assista ao Projeto abaixo:

Link do Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=lWCMXT06Vlk

never

 

Veja também

Professor de esquerda ligado a Israel aborda o antissemitismo nas esquerdas

“Convivo com gente da esquerda há décadas e, tendo uma relação muito forte com Israel …