B’nai B’rith do Brasil condena ataque em Jerusalém e solidariza-se com os que trabalham para encontrar o caminho da paz.

A B’nai B’rith do Brasil condena o ataque terrorista que deixou quatro mortos em Jerusalém, neste domingo, 8 de janeiro – 10 de Tevet.
Quatro soldados, três mulheres e um homem foram atingidos quando um caminhão foi arremessado sobre eles em uma movimentada rua de Jerusalém, nesta época com muitos turistas. Quinze pessoas ficaram feridas.

Nesta data (10 de Tevet – 8 de Janeiro) o povo judeu lembra o início do cerco a Jerusalém, que levou à destruição do Primeiro Templo, construído pelo rei Salomão. Os exércitos de Nabucodonosor o destruíram e efetivou-se a nossa primeira diáspora.

Condenamos, também os recentes ataques realizados na Alemanha, Turquia e França.

A B’nai B’rith do Brasil protesta também ao constatar que Palestinos, ao saberem da morte dos israelenses foram às ruas para comemorar. Este é o comportamento indigno, dos que apoiam o terror, como o Hamás.

O motorista do caminhão sentiu-se incentivado a realizar o seu ato após o sermão do Iman de sua mesquita, sob orientação da Autoridade Palestina a criticar a intenção do Sr. Donald Trump – Presidente eleito dos Estados Unidos – a transferir a embaixada de seu país de Tel Aviv para Jerusalém.

O ataque acontece poucos dias após a aprovação da resolução 2334 pelo Conselho de Segurança da ONU, condenando Israel pelos assentamentos em Judeia e Samaria, localizados nos territórios em disputa com os Palestinos assim como Jerusalem Leste, incluindo o Muro das Lamentações. Local este mais significativo para o Judaísmo.

Portanto, não são espaços físicos que farão a diferença entre o estabelecimento da PAZ e a permanência da promoção do ódio e da violência.

Hoje, a ONU condenou o ataque e considerou que o terrorismo coloca em perigo a segurança e a paz.

A B’nai B’rith do Brasil condena também a organização da cúpula unilateral pela paz no Oriente Médio, prevista para acontecer a partir do dia 15 de janeiro em Paris. Foram convocados 70 países.

No entanto, sem a presença anunciada de Israel, a conferência corre o risco de tornar-se mais um palco de hostilidades contra o Estado Judeu, sem alcançar o verdadeiro objetivo. Ao contrário, ficará cada vez mais difícil alcançar a PAZ, se não houverem negociações diretas, honestas e de confiança entre as duas partes – Governo de Israel e Autoridade Palestina.

A B’nai B’rith une-se às vozes de todo o mundo que almeja a harmonia pacífica e respeitosa, presta condolências às famílias e amigos dos que perderam suas vidas sob ataques terroristas e solidariza-se com os que trabalham e se esforçam para, mesmo diante das adversidades, encontrar energias para trilhar o caminho da PAZ.

Veja também

Federação Israelita do Estado de São Paulo repudia vinda do Aiatolá Mohsen Araki ao Brasil

A Federação Israelita do Estado de São Paulo (Fisesp), entidade que representa a comunidade judaica …