B’nai B’rith, Câmara Municipal e Sherit Hapleitá homenageiam heróis da 2ª. Guerra Mundial

Sobreviventes receberam homenagem pelo exemplo de vida em defesa da liberdade 

Com a presença de autoridades civis, militares e religiosas, a Sessão Solene em Memória dos Heróis e Mártires da 2ª. Guerra Mundial realizada dia 13 de Maio de 2014 contou com muitos sobreviventes do Holocausto e combatentes da Força Expedicionária Brasileira -FEB. Promovida pela Câmara Municipal de São Paulo, por iniciativa do vereador Gilberto Natalini (PV/SP), B’nai B’rith, Sherit Hapleitá e Unibes, no auditório lotado, reuniu alunos da EMEF Joaquim Nabuco e da Escola Aprendiz do Futuro que homenagearam os sobreviventes através de apresentações artísticas, sob a coordenação das professoras Maria Rute Alves Brito e Adriana de Oliveira Costa.  A B’nai B’rith, entidade judaica de Direitos Humanos e a Câmara Municipal realizaram uma homenagem especial aos sobreviventes entregando a cada um certificado em congratulação pelo exemplo de vida em defesa da liberdade e de luta para fazer deste um mundo melhor.

O ponto alto da noite foi a cerimônia de acendimento conjunto por alunos e sobreviventes de seis velas, em memória dos seis milhões de judeus assassinados na 2ª. Guerra Mundial. O rabino Michel Schlesinger, da Congregação Israelita Paulista (CIP) foi responsável pela parte litúrgica. Uma vela foi acessa pelos representantes das Forças Armas Armadas e da FEB por todas as vítimas do conflito que deixou mais de 50 milhões de mortos. Em seu discurso, o vereador Gilberto Natalini destacou: “reafirmo aqui meu compromisso com a liberdade, com a democracia, com a tolerância”. “Temos por obrigação testemunhar”, disse Rachel Gotthilff, falando do milagre dos sobreviventes reconstruírem suas vidas e viverem normalmente depois de tudo o que passaram. Ben Abraham, presidente da Associação dos Sobreviventes do Nazismo, recordou aos jovens que Hitler foi eleito democraticamente e, portanto é preciso saber votar. O Capitão de Fragata Daniel Américo enfatizou a vocação do Brasil para a paz ao relatar que as novas gerações, nas quais se incluiu, não tem como valorar o que é perder a paz.

Abraham Goldstein, presidente da B’nai B’rith do Brasil, ressaltou o valor da liberdade, lembrando que 13 de maio é a data da promulgação da Lei Aurea, que libertou os escravos e Damaris Moura, presidente da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da OAB/SP disse que o evento é uma inspiração para fazer muito mais, concluindo: “se a liberdade não for para todos, ela não poderá ser para ninguém”.

 

Abandaemesa
Banda do Exército executa hinos nacionais de Israel e do Brasil
Rachel Gotthilff recebe certificado das mãos de aluna
Rachel Gotthilff recebe certificado das mãos de aluna
Alunos da EMEF Joaquim Nabuco apresentam peça
Alunos da EMEF Joaquim Nabuco apresentam peça
Vista do público
Vista do público

Veja também

B’nai B’rith na 10ª caminhada que reuniu 50 mil em prol da liberdade religiosa no RJ

A comunidade judaica participou em peso no domingo, 17 de setembro, com milhares de pessoas …

Deixe uma resposta