Ban Ki-moon: “Os judeos da América deixaram sua marca nas Nações Unidas”

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon elogiou a comunidade judaica norte americana por sua cooperação na luta contra a injustiça e sublinhou a necessidade de “manter-se firme contra os extremistas” em seu discurso em Nova York, na terça-feira à noite.

 No jantar de gala do 50 º aniversário da Conferência de Presidentes das Principais Organizações Judaicas Americanas, Ban Ki-moon disse que as Nações Unidas e a comunidade judaica dos EUA  “compartilham um objetivo comum … e os mesmos valores “em busca da” paz e da dignidade humana para todos.”

 Falando para mais de mil pessoas, disse: “”Ao longo dos anos temos lutado juntos contra a injustiça ea intolerância. O nosso legado é sólido. A questão agora é aonde vamos a partir daqui.” Ele reconheceu as ameaças e os desafios atuais. E reiterou que “ninguém – nem judeus, muçulmanos ou qualquer outra pessoa – deve sofrer pela crença de que segue”.

 “Minha posição é clara: o antissemitismo não tem lugar no século XXI.  Há muito em jogo para permitir que tal discriminação persista.”.

Em seguida, pediu a retomada da paz entre israelenses e palestinos e ressaltou o próximo aniversário da Kristallnacht (Noite dos Cristais) e da libertação de Auschwitz.  “É uma missão das Nações Unidas para evitar que tais horrores no futuro.”

 O ex-presidente dos EUA, George W. Bush fez uma aparição surpresa no evento e Presidente Barack Obama mandou sua mensagens através de vídeo. “Eu não vou acreditar nas intenções pacíficas do Irã até que possa demonstrar que é irrevogável verdade”, disse Bush na reunião.

Veja também

Nova York tem tentativa de ataque terrorista nesta manhã

O maior terminal rodoviário do mundo foi palco da tentativa de um ataque terrorista, conforme …

Deixe uma resposta