Aniviversário da morte de Rabin e o vale do Jordão

Em cerimônia na Knesset (Parlamento) pelo 18 º aniversário da morte de Yitzhak Rabin, o primeiro-ministro Netanyahu disse que a lição trazida com o seu assassinato é não deixar a ação política para os extremistas.

 “A nossa força é a garantia de nossa existência e de paz. Nós não queremos um ramo iraniano na Judéia e Samaria. Isso requer uma fronteira de segurança no vale do Jordão, como Rabin disse em seu último discurso “, enfatizou Netanyahu, ontem.

 O primeiro-ministro falou um dia depois do jornal Maariv informar que as negociações de paz emperraram na questão da presença da IDF no vale do Jordão, a que os palestinos se opõem. Israel se recusa a ceder sobre o assunto.

Veja também

Pesquisas do Arqshoah  serão divulgadas na Universität de Zürich (Suíça)

Neste dia 9 de outubro, a historiadora  Maria Luiza Tucci Carneiro faz uma vídeoconferência para …

Deixe uma resposta