90% dos muçulmanos são mortos por islâmicos

Mil muçulmanos estão sendo mortos a cada dia e 90% dos assassinos também são muçulmanos, disse o chefe da direção de assuntos religiosos da Turquia (Diyanet).

“Eles estão sendo mortos por seus irmãos, não só na Síria e no Iraque, mas também na Líbia, Paquistão, África e Mianmar,” disse o Prof. Dr. Mehmet Görmez em discurso aos acadêmicos islâmicos do mundo, para paz, moderação e bom senso, durante a conferência de Istambul, que reuniu personalidades islâmicas de 32 países, em julho.

O mundo islâmico precisa fazer um esforço conjunto para reviver os valores por excelência da civilização islâmica, acrescentou. “Sofrimento, violência e conflitos em várias partes do mundo islâmico, incluindo célebres cidades como Bagdá e Damasco, ferem profundamente o coração de todos os muçulmanos”, disse Görmez, referindo-se aos crimes cometidos pelos movimentos islâmicos radicais como Boko Haram e o Estado Islâmico.

Recentemente foi criado pelo Diyanet um grupo de 10 pessoas com para promover a paz no mundo islâmico, anunciou Görmez. “Este grupo se encontrará com governos, parlamentos, instituições internacionais, grupos religiosos e círculos acadêmicos e científicos para discutir e propor soluções para trazer paz em áreas de conflito no mundo,” acrescentou.

Istambul – Agências Anadolu / Doğan

Veja também

Seminário e lançamento de livro marcam os sete anos da Cátedra da Cultura Judaica da PUC-SP

Nesta quarta-feira, 22 de novembro, a PUC-SP celebra os sete anos da Cátedra da Cultura …