80 anos B’nai B’rith Brasil – 170 anos B’nai Brith Internacional

Vejamos se isto não é motivo de comemoração? A união de uma fraternidade entre homens e mulheres motivada por valores e princípios em âmbito mundial que está completando 170 anos de existência. “Que todos os homens possam se lembrar que são irmãos”, Voltaire (1684).

Foi em 1843, nos Estados Unidos, que um grupo de amigos se uniu sensibilizados com o bem estar das viúvas e órfãos dentro da pequena comunidade judaica de Nova York.

Daí para frente à B’nai Brith – Filhos da Aliança, (de Deus com Abrão para difundir o monoteísmo) se impôs, integrando judeus de todas as origens e linhas religiosas.

Passaram se os anos e a pequena fraternidade tornou- se uma organização internacional voltada para a defesa dos Direitos Humanos, representada nos mais importantes organismos mundiais.

Através de seus grupos, denominados Lojas, se consolidou uma fraternidade atuante  no respeito à dignidade humana e na promoção da justiça social, independente de origem e credo.

Os seus princípios continuam a ser até os dias hoje: ”Beneficência, Fraternidade e Harmonia”. Suas Lojas e centros comunitários estão presentes em mais de 54 países.

A B’nai B’rith apoia e defende o Estado de Israel, em seu direito a uma existência segura, ao lado de seus vizinhos, como estado judeu e possui o World Center, em Jerusalém. Suas Lojas e centros comunitários estão presentes em mais de 54 países.

No Brasil, nascia em 1932, com a Loja Moises Mendelsohn a representação nacional. Hoje, a Loja Albert Einstein, criada no ano seguinte é a mais antiga em funcionamento. Com forte atuação nas áreas de direitos humanos, educação, cultura, justiça social, diálogo inter-religioso e juventude, combate o racismo, a xenofobia e o antissemitismo.

As suas lojas se espalharam pelo território nacional. Um especial destaque às lideranças que se sucederam nestes 80 anos e aos membros da fraternidade que vem colocando em prática os valores maiores da nossa B’nai B’rith e do judaísmo.

Temos orgulho de pertencer a uma organização deste porte. De manter um judaísmo vivo e atento, à liberdade de princípios e de opinião.

“Não te cabe terminar a obra, mas não és livre de abandoná-la”,   capitulo 11, versículo 26 da Ética dos Pais  – Talmud.

 

“Onde mora a liberdade é a minha pátria”, Albert Einstein.

 

Parabéns B’nai B’rith!

Ernesto Strauss – Diretor Cultural da B’nai B’rith do Brasil

 

Veja também

Campanha CHARIDY Fundo de Bolsas Ninguém Fica de Fora

Para o professor Jonathan Sacks, rabino chefe da Inglaterra, “Os judeus sobreviveram, simplesmente, porque devotaram …

Deixe uma resposta